sábado, 18 de julho de 2020

sobre meus medos

cresci acreditando que família é a coisa mais importante do mundo. mesmo sendo orientada a estudar e trabalhar pra ser independente, porque caso o casamento não dê certo, eu possa me separar e me manter. não que este seja o objetivo. devo me casar no atraída por essa perspectiva, não deixando essa porta aberta.

por isso acho que um casamento, o convívio, o lar, os móveis, os talheres, as panelas e pratos, o cesto de roupa suja... coisas que a gente acha em lojas até baratinhas, acho precioso demais, porque carregam uma história. carregam a alegria e as lutas de um casal. carregam as dores, o dia a dia, os pedidos de perdão, os risos e cada troca de carinho compartilhados e declarações feitas.

{o que vou falar nesse parágrafo pode não fazer muito sentido agora, mas pra mim faz e preciso lembrar disso quando ler isso aqui de novo em alguns anos, caso ainda esteja viva} eu tenho a autoestima baixa. na verdade, já foi mais. Deus tem trabalhado de algumas formas comigo essa questão, mas certas coisas me intimidam muito, seja saber que meu namorado acha alguém bonita e ela tenha mais a ver com o padrão que ele disse que tinha antigamente, seja achar especial cada vez que ele me chama de linda, amor ou meu amor ~ tenho me sentido bastante carente, e tô prestando atenção nisso.

não acho que ele não goste de mim. apesar de nunca ter vivido nada recíproco e estarmos passando um momento de pandemia e eu sentir uma falta absurda de beijá-lo e estar com ele {porque nesses momentos eu me sinto desejada e não tenho vergonha de nada em mim, pela primeira vez}, eu não consigo deixar de lado o fato dele já ter sido casado, de já ter tido tudo isso que eu acho tão precioso, sabe?

eu já perguntei a ele se ele voltaria com a ex e ele sempre foi bem claro sobre, mas é que... ele não me deixa insegura, não é isso. a não ser quando se refere ao passado e a eles dois como "a gente". isso sempre me quebra e eu morgo muito. mas sabe quando você fica esperando isso acontecer, não porque ele demonstra isso, ou por ainda ter fotos dela e com declarações a ela nas suas redes sociais. é só que, eu acho isso tudo grande demais e às vezes eu não sei lidar.

eu tenho medo dele ir embora. tenho medo de fazer algo errado ou ser chata demais por pedir que ele não se refira a ela como "a gente". tenho medo de fazer planos e não acontecer. tenho medo dos planos dele se limitarem a 1 ano. tenho medo deu estar indo rápido demais com meus pensamentos. a gente faz 5 meses segunda e talvez eu esteja pensando além. eu deveria estar mais no presente, mas e se a ideia dele nunca mudar? e se eu for só mais uma, como sempre fui?

eu sinto falta de momentos felizes e românticos que a gente teve no primeiro mês. a pandemia veio rápido demais e me trouxe muita nóia e insegurança. já compartilhei algumas coisas com ele, mas todas essas... é demais e eu sempre falo sobre isso com minha irmã, já tô ficando chata.

enfim, voltei a tomar o fitoterápico pra ansiedade.
eu tô cansada de mim.

terça-feira, 7 de julho de 2020

sobre coisas que consegui

eu preciso escrever aqui coisas que consegui nessa quarentena ou na vida mesmo, como forma de me motivar; como forma de me lembrar que eu não sou pior que todo mundo e que sou tão capaz quanto. porque preciso me esforçar por mim, acreditar em mim e nos meus projetos, acreditar nos meus sonhos e lembrar que eu não sou o lixo que penso que sou:

- eu consegui emagrecer 8kg nessa quarentena
- eu consigo controlar muito mais minha raiva
- eu consigo respeitar o outro
- eu tenho empatia
- eu consegui um novo ponto físico pra loja
- eu estou voltando pro ifood
- eu consigo manter minha depilação em dia
- eu estou conseguindo manter minhas unhas feitas
- eu estou conseguindo manter meus pés hidratados
- eu estou conseguindo manter meu quarto arrumado
- eu amo os momentos que falo com convicção
- eu percebi que gosto da minha voz e que a acho doce
- eu tenho conseguido me achar bonita mais vezes
- eu estou conseguindo ser mais gentil comigo

eu sei que
- eu sei que sou decidida, só preciso ser ainda mais
- eu sei que posso fazer bolos lindos e estruturados
- eu sei que posso ter minha food bike
- eu sei que posso ter mais pontos físicos da Luzes
- eu sei que posso ter minha moto
- eu sei que posso amar meu trabalho e me dedicar ainda mais a ele
- eu sei que posso me alimentar ainda melhor
- eu sei que posso diminuir meu consumo de carne
- eu sei que posso voltar a ser vegetariana
- eu sei que posso ser vegana
- eu sei que posso ser ainda mais gentil comigo
- eu sei que não sou burra
- eu sei que preciso estudar mais sobre assuntos gerais












eu não sou a pior pessoa do mundo. eu preciso ser muito mais gentil comigo. eu preciso parar de me comparar tanto assim. eu preciso priorizar o que é mais importante para chegar onde quero.

terça-feira, 2 de junho de 2020

sobre atualizações

2020. mais de dois anos depois da última postagem e vez ou outra eu lembrava daqui e tinha vontade de digitar coisas aqui que só eu leio. lembro que uma das últimas postagens eu falava que ia completar ano em poucos dias. bem, hoje tenho 28 anos e a vida não andou muito como programei e sonhei quando tinha meus 20 anos de idade. ainda tenho sonhos que parecem cada vez mais distantes de se realizar e ainda mais estamos vivendo em um período histórico, veja só você: estamos no meio de uma pandemia! mas até aqui o Senhor que protegido a mim e aos meus e o glorifico por isso!

às vezes me sinto meio bagunçada, meio desmotivada...

já falei por aqui que empreendo? então, preciso organizar as palavras pra digitar aqui sobre isso! a propósito, já já preciso sair pra fazer uma entrega e tenho mais um monte de coisas pra resolver da empresa, mas eu tô meio bagunçada e ansiosa, daí tô me sentindo meio perdida no que fazer. é uma coisa que preciso mudar: mesmo me sentindo assim, não parar!

dia desses assisti um podcast com participação de bernardinho e ele falava sobre disciplina. lembro que nos dois dias seguintes eu fiquei super ativa e motivada, mas semana passada mesmo já dei uma vacilada. preciso ser disciplinada!

enfim, depois volto e relato aqui pra mim das coisas que acontecem ou aconteceram na minha própria vida, caso Deus permita isso.












eu sempre colocava uma frase aqui no fim, nera? acho legal.

terça-feira, 8 de maio de 2018

sobre acordar. mais uma vez.

às vezes eu perco o foco. talvez seja normal. não sei. às vezes o desânimo me bate e eu desisto das coisas por uns dias.

ainda tô me levantando novamente. a ficha tem caído ao perceber o que perdi nessa última semana.

semana que não volta mais. tempo que não volta mais.




















a vida é curta.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

sobre ansiedade e talvez algo mais

passei um mês intenso. o mês de março foi incrível! cheio de trabalhos cursos, aprendizado e crescimento. mas me sinto tão insegura! insegura com o amanhã, com minha instabilidade financeira, com sonhos ainda não realizados...

parece existir uma dualidade em mim. uma confusão! às vezes sei o que quero, às vezes não tenho mais tanta certeza.

essa semana foi de pausas. pausas essas que acabam me atrapalhando, porque para as responsabilidades que assumi, eu preciso produzir. mas minha ansiedade quanto o amanhã me paralisa algumas vezes, mesmo sabendo que "para cada dia basta o seu mal".

sem contar na minha formação. nossa, como isso me inquieta! investi 4 anos na graduação mais 1 de pós. outro 1 ano tentando mestrado e não consegui. será que devo abrir mão disso? mas e se eu tentar e conseguir? mas depois do mestrado e doutorado, qual minha estabilidade? será que devo tentar concurso agora? será que devo investir na continuação dos meus estudos e depois tentar concurso? mas eu já tenho 26! são muitos anos pra isso tudo acontecer! e se eu fizer tudo isso e tiver que parar com meus trabalhos? mas e se esses trabalhos não me derem essa estabilidade?

percebe minha confusão e insegurança?

e outras coisas sendo trabalhadas em mim. sobre "ei catarina você é livre para pedir coisas a Deus", como tem lá em mateus 21. mas essa é uma questão que ainda tá sendo ministrada em meu coração.

ao mesmo tempo vejo Deus cuidando de mim e me dando o necessário. e é aí que percebo como é pequena a minha fé e limitada minha visão. tudo isso é ilusão. é correr atrás do vento. - eclesiastes.















.

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

sobre mudanças

tanta coisa tem acontecido, blog! e tenho vivido tudo isso de verdade, sabe? sem postar aqui. mas 2017 foi incrível! foi um ano de trabalho, tanto interno quanto externo. me arrisco a dizer que 2017 foi o melhor ano pra mim e um dia, conversando com minha amiga, ela me perguntou como posso dizer isso, já que tanta coisa aconteceu: pontos finais foram colocados, coisas expostas, tanta lágrima, tanto aprendizado... enxerguei que tenho, PRECISO lutar por mim... enfim. daí parei, pensei, e me dei conta do porque realmente achar que 2017 foi o melhor ano! tudo depende da forma que você quer enxergar as coisas.

o trabalhar continua. sabe, Deus tem colocado pessoas na minha vida, projetos, ideias... Ele tem cuidado de mim e da minha casa! tem me moldado. e isso dói! dói muito! matar a si mesma dói. mas é uma morte que traz vida, então é melhor deixar doer.

as ideias foram soltas, mas espero que, tendo uma oportunidade de reler esse texto daqui há algumas semanas, eu lembre de como me senti (essa é a melhor parte de um blog pessoal, na minha opinião). eu espero que possa lembrar que hoje vejo com clareza. e que quero enxergar ainda mais!










"Antes eu Te conhecia só por ouvir falar, mas agora eu Te vejo com os meu próprios olhos."
Jó 42.5

segunda-feira, 17 de julho de 2017

sobre se convencer bem tarde das coisas

eu nem sei exatamente o  que dizer. queria desabafar aqui, mas as palavras sumiram.

como eu sou estúpida por acreditar e sempre justificar. como eu posso ainda me importar tanto com o que você pensa, quando claramente, não importa! nada que eu faça vai te fazer me enxergar de outra forma. depois de tanto tempo, e ainda levantar essa poeira que finalmente já tinha baixado. depois de tanto tempo, depois do pedido de desculpa, falar que a culpa é apenas minha!

tudo bem. mas é tão pequena a forma que você me vê. e isso dói.

na verdade, doía mais. depois de dois anos, depois de tantas lágrimas, depois de tanta oração, finalmente a paz aqui dentro existe, e não vem de mim.
















"eu o instruirei e o ensinarei no caminho que você deve seguir; eu o aconselharei e cuidarei de você" sl 32.8